Projetado quando da edificação do estádio, em 1973, o gramado do Serra Dourada foi construído em toda sua estrutura de drenagem e irrigação com a tecnologia mais moderna da época. A grama plantada foi a Bermuda Tifgreen, com podas de cinco centímetros de altura. Desta forma, foi considerado por muitos anos como o melhor gramado do País, servindo como palco para os principais artistas do futebol goiano, brasileiro e internacional.

Mas o tempo passou, novas tecnologias surgiram, bem como novas exigências no que diz respeito à construção, plantio e conservação dos gramados. Devido a isso, em 2010 o gramado do Serra Dourada passou por uma reestruturação. Aconteceu melhorias no seu sistema de drenagem, houve troca do sistema de irrigação e foi plantada grama de última geração, a Bermuda Celebration, que possui característica de crescimento rápido, com alta capacidade de rebrota. A equipe técnica que cuida do gramado do Serra Dourada, que tem o engenheiro agrônomo Márcio Bueno de Morais e o técnico em gramados Mazinho, passou a adotar, também, um novo regime de poda.

Atualmente é realizada poda curta, de menos de dois centímetros de altura, deixando o gramado “mais rápido” na linguagem do futebol, ideal para o tipo de jogo contemporâneo. A frequência com que o serviço é realizado é de três a cinco vezes por semana. Contudo, a preservação do gramado do Serra Dourada e sua manutenção como um dos melhores do Brasil requer, ainda, outras ações, conforme explica Márcio Bueno de Morais. São os chamados tratos culturais.

Entre as ações neste sentido, está a preocupação com o controle de pragas e doenças. Existe muito cuidado com o uso de defensivos, evitando aplicações desnecessárias. Elas são feitas sempre com uma adequada orientação do engenheiro agrônomo, evitado dias e horários próximos aos jogos e com os funcionários devidamente paramentados para o uso de EPIS.

A abubação é feita atendendo a critérios de análise anual de solo e com recomendações especificas. A descompactação do solo acontece para melhorar as condições do piso e facilitar o enraizamento da grama, o que faz com que a planta ganhe em qualidade sensivelmente.

Ao final do ano, é realizada a colocação de topdressing, cujo objetivo é a regularização do gramado. Neste serviço é utilizada areia e substrato específico.

Neste período também ocorre o corte vertical, que é executado com máquina de lâmina vertical, especifica para o serviço. Este trabalho é para a retirada da camada de grama morta dothatch, também chamada de colchão.

Dimensão do gramado

  • 105 x 68m – Campo de jogo
  • 118 x 80m – Todo gramado

Tipo de grama

  • Bermuda celebration no campo;
  • Grama sintética e grama esmeralda nas laterais (onde fica a imprensa).

Manutenção do gramado

  • O corte da grama é feito com intervalo de um dia, independente se tem jogo ou não.
  • A drenagem do gramado acontece através de colchão drenante composto por 24 saídas de manilhas, com saidas laterais, escoando a água para o fosso.
  • Existem camadas de drenagem brita, areia, terra vegetal e top soil. O sistema possui em torno de 10 mil furos verticais para a drenagem.
  • A drenagem vertical é feita com trado para escoamento tipo ralo. A drenagem por aeração acontece com máquina adequada, melhorando sensivelmente a ação de dreno da água.
  • O gramado é angulado em 40 cm de queda para as laterais, ajudando o escoamento da água da chuva.
  • A irrigação é feita por 35 aspersores automáticos, tipo rotor escamoteável, e computadorizados, ou seja, controlados automaticamente. O gramado possui caixa d’água exclusiva, com capacidade de 200 mil litros.
  • A poda da grama é feita com máquina de corte com lâmina helicoidal da TORO 3100, com altura ente 18 a 22 mm. A frequência de poda é de três a cinco vezes por semana.

Além do gramado, o campo do Serra Dourada conta com a seguinte estrutura:

  • 2 bancos de reserva para 23 atletas
  • Banco para segurança dos árbitros com 12 lugares
  • 2 fontes para imprensa que comporta 24 microfones